Eu e a fotografia

Aqui você vai se esbaldar com algumas dicas e fotos que me é uma paixão e um prazer:

Eu e a fotografia

Trabalhei com fotografia no período de 1987 a l993, fazendo reportagens de casamentos, aniversários,batizados e eventos em geral. Sempre fui apaixonado pela fotografia.

ABUSANDO UM POUCO

Vivia fazendo experiências mirabolantes e sem medo de aprender algo novo.
Ou então, fotografar contra o sol, buscando formar silhueta ou entre as árvores, para captar a difusão da luz entre as folhagens.
Todos os dois modelos de máquina, utilizavam os filmes 110mm e 126mm (Love e Tekinnha).
O flash era em forma de cubos, que disparavam por atrito.
Em ambas, eu colocava o papel celofane na frente da lente, procurando os mais diversos efeitos e tons de coloração na foto.
Depois comprei uma instamatic da Kodak, ainda sem flesh e após, uma com a acoplagem de um flash a pilha.
Desta forma tive a oportunidade de experimentar as diversas sensibilidades dos filmes (ASA/ISSO), e curtir os resultados com as diferenças das texturas das imagens.
Até que compre uma máquina monoreflexa, lentes cambiáveis, encaixes com rosca, Pratika /MTL-3, sendo uma lente de 29 mm e outra de 50 mm. Em que perceber os ângulos das imagens, era o grande barato.
Depois, consegui uma outra lente de 70 mm e me emprestaram uma 100 mm.Era incrível a mudança da mesma imagem, com relação a utilização de cada uma delas.
Por ultimo, ajuntando com os recursos de tempo e velocidade, fiquei maravilhado com os resultados.
Como assessórios, comprei um flash conhecido com Frata 120, lentes de filtros, que são acoplados as objetivas para diversos efeitos, como estrelas com 4,5 ou 6 pontas, filtro de luz infravermelho ou ultravioleta e um disparador automático para um segundo flash, chamado de fotocélula.
Comprei uma bolsa térmica para carregar toda a traia de fotografo. Muito legal! Mesmo!

MINHA INICIAÇÃO FOTOGRÁFICA

Comecei fotografando coisa do meu cotidiano, passeios, reuniões familiares, o local onde morava, flores, animais, crianças, etc.
Fui experimentando cada efeito das regulagens que a máquina dispunha, até chegar ao ponto de ,antecipadamente, visualizar o que estaria sendo fotografado.
No início me senti como se estivesse aprendendo a dirigir um carro, com relação a direção e a troca de marchas do câmbio. Mas, também, são movimentos que automatizam.
A minha esposa foi a minha primeira modelo e foi muito compreensiva, o que me ajudou muito!

DICAS SOBRE OS FILMES

Filme com sensibilidade ASA/ISO 100, é bom para luz do dia (natural) e com flash eletrônico. Ideal para paisagens, closep-ups e retratos.
Filme ASA/ISO 200, permite fotografar ambientes externos em condições normais de iluminação e também internos, com o uso de flash eletrônico. Ideal para uso em câmaras convencionais e compactas modernas.
Filme com ASA/ISO 400, é um filme de alta sensibilidade, versátil, para tomadas com luz natural e com o uso do flash eletrônico.Permite fotografar ambientes externos com pouca iluminação e também internos com o uso do flash. Ideal para fotos de ação, esportes e câmaras dotadas de lentes com "ZOOM"
Equivale dizer que cada filme vai dobrando a sua sensibilidade em gravar as imagens.
Temos ainda, no mercado, filme de sensibilidade de 800 e1.200 ASA/ISO, muito utilizado para cenas com pouca iluminação como shows, peças teatrais e nos esportes de muita velocidade, onde são empregadas as objetivas para longas distâncias (teleobjetivas).

E mais dicas nas páginas: Importante,
De amador para amador e Flash.

Exposição fotográfica

Gravar um momento no tempo. Em 05 de abril de 1988, participei da Exposição Fotográfica, com o tema "Gravar um momento do Tempo", no Espaço Cultural "Grande Otelo", em Osasco, promovido pela Secretaria da Cultura, no governo do Prefeito HUMBERTO CARLOS PARRO, sendo a Secretária Municipal da pasta da Cultura ANA DE HOLLANDA. A exposição foi no período de 05 a 18.04.1988, cuja imagens da vernissage e as fotos que fizeram parte da exposição, compõe esta página nos link: Exposição Fotográfica e Oficina de Fotojornalismo

De Amador para Amador

Para melhorar a qualidade do que se vai fotografar e da fotografia, é bom se ter uma noção do que é que está acontecendo, mesmo com a facilidade das máquinas automáticas. Este momento mágico da gravação da imagem através da luz é muito importante! Que não seja apenas um "click".
ABERTURA: É o quanto de luz vai entrar para gravar a imagem. Imagine a íris do olho humano como reage às diferentes intensidades de luzes. Ela abre ou fecha, é assim que a abertura funciona.
VELOCIDADE: Vai determinar em quanto tempo a luz vai incidir sobre o negativo para gravar a imagem.
FOCO: É responsável pela nitidez da imagem a ser gravada.
PARALAXE: É a distância que há, em algumas máquinas, entre o visor e a lente objetiva, ou seja, entre o que se está olhando e o que se vai fotografar. Na dúvida, saiba que o que estará sendo fotografado, é o que está ao centro da máquina. O nariz ainda é uma boa referência para a imagem, se colocarmos a máquina fotográfica para visualizar com o olho esquerdo e não com o direito como estamos habituados.
PROFUNDIDADE DE CAMPO: É o que vai aparecer na fotografia antes e depois do objeto ou assunto a ser fotografado.
SENSIBILIDADE: Quanto maior a sensibilidade (ASA/ISO), geralmente, menor é a velocidade e ou a abertura para se capturar a imagem.
RECOMENDAÇÕES: Em fotografia sempre que tiver que se preocupar com pilhas e baterias, siga as recomendações do fabricante, sendo que minha sugestão para pilhas, que seja sempre alcalinas.
Faça sempre uma pequena programação das fotos que deseja tirar. Mentalize o que deseja fotografar. Que se não sair do jeito que você queria, vai ficar bem próximo do desejado.

BOA SORTE !!!! BOM APROVEITO!!!!!

Flash

É muito comum a utilização de flash somente dentro de ambientes ou à noite. No entanto, o flash pode ser usado a qualquer momento, desde que se queira reforçar a iluminação de um determinado objeto ou situação de sombra. Até mesmo é preferível uma super-exposição do que uma sub-exposição do negativo. Hoje os meios de comunicações que se utilizam de fotos, preferem imagem "estouradas", ou seja, super-expostas.
Não tenho medo de se utilizar do flash fora do convencional. Dependendo do lado a ser iluminado, podê-se deixá-lo de cabeça para baixo ou invertê-lo para o lado direito, onde geralmente, é do lado esquerdo da máquina, sem prejuízo da imagem. Apenas no negativo é a a imagem será gravada fora de uma estética. Mas na hora que for revelada a fotografia, você e utilizará de forma convencional, não é?
Quanto a vermelhidão que aparece nos olhos, nada mais é que a luz do flash na mesma altura do olho, reflete a luz branca do flash retornado do fundo dos olhos que é irrigado por sangue, transformando a luz branca em vermelha. Para correção basta movimentar a câmera um pouquinho para baixo, sem desenquadrar a imagem que está sendo fotografada.
Para amenizar os problemas indesejáveis da utilização do flash é bom se utilizar de alguns truques como cobrir o flash com papel manteiga, que suavizará a intensidade da luz, cartolina ou outro material branco, para rebater a luz e amenizar as sobras ou até lentes especiais para os flash de embutir, como difusor de luz.

Inportante

Muitas vezes nem o talento do artista ou a alta tecnologia das câmeras modernas podem garantir o sucesso de uma boa foto. Alguns cuidados básicos devem ser tomados, tendo em vista a preservação de seus filmes e equipamentos, e um mínimo de atenção deve ser dedicado ao ato de fotografar. Portanto, aqui estão alguns lembretes úteis e aparentemente óbvios, mas dos quais ouço freqüentemente falar como principais causadores de fracassos:

1- Não guarde sua câmera em lugares úmidos e abafados, como, por exemplo, armários embutidos. Isto evitará que as objetivas sejam atacadas por fungos.

2 - Estando "a trabalho", não deixe a câmera no porta-luvas ou no porta-malas do automóvel. Não só ela poderá ser roubada (mas este não é nosso departamento), como, certamente, por serem locais normalmente quentes, prejudicam sua lubrificação e o filme.

3 - Saiba com segurança colocar e retirar o filme da câmera. É o mínimo de que qualquer fotógrafo deve ser capaz.

4 - Certifique-se da sensibilidade do filme que está usando para que você possa regular corretamente o fotômetro de sua câmera. Nem todas as câmeras são totalmente automatizadas. Não se esqueça também de que no caso de fotos coloridas há filmes indicados para luz natural (luz do dia) e luz artificial (tungstênio). Se sua câmera possui um flash automático incorporado ou acoplado, vá em frente em qualquer situação, com filme indicado para luz natural. A temperatura de cor da luz do flash é igual à temperatura de cor da luz do dia.

5 - Não deixe muito tempo um filme dentro da câmera. Acabado o filme, mande-o revelar em seguida.

6 - Saiba usufruir as vantagens das câmeras modernas sem ficar preso à "ditadura" do automatismo. Leia com atenção o manual de instruções.

7 - Nunca é demais insistir: não esqueça de tirar a tampinha da objetiva!

(Texto tirado da Revista SUPER INTERESSANTE ESPECIAL, nº 1, Ano 3 de março de 1989,páginas 42 e 43, com título " Não esqueça jamais" da Editora Abril)